sábado, 15 de julho de 2017

José Eliseu


Começou a cantar em rima ainda em criança, influenciado pelos serões
de cantoria, organizados pelo pai. Foi durante anos o rapaz novo das
cantigas ao desafio. Agora que assinala 30 anos de carreira, começa a
ver crescer uma nova geração de cantadores. José Eliseu partilha com
DI-XL as histórias da já longa carreira e as expectativas para as próximas décadas.
José Eliseu, 40 anos, natural de São Bartolomeu dos Regatos, é
engenheiro de segunda a sexta e jornalista desportivo nos tempos livres.
Não é por esta descrição, no entanto, que a maioria dos
açorianos o reconhece. Entre a carreira profissional e os relatos da
bola, Eliseu arranja tempo para uma paixão com 30 anos: as cantigas ao desafio.

Foi a sua capacidade de improvisar em rima que o tornou conhecido nas
ilhas e nas comunidades de emigrantes. Em 2011, assinala três décadas da primeira actuação e DI-XL quis conhecer as histórias do passado e as expectativas para o que aí vem.
Entre as melhores recordações da cantoria estão também os instantes da primeira actuação. Faltava-lhe um mês para completar os 11 anos, quando por iniciativa de António Plácido, José Eliseu se estreou nas Festas de São João de Deus.
Plácido, cantador que celebrizou “as velhas” com João Ângelo, ouviu falar de um “pequeno que dizia umas cantigas” e decidiu - “corajosamente”, segundo José Eliseu – propor à comissão de festas queaceitasse o rapaz no grupo de cantadores. Já estavam contratados o
próprio António Plácido, João Ângelo, Mota e Galanta, mas a comissão aceitou o desafio.
E assim, a 10 de Junho de 1981, José Eliseu auta pela primeira vez em
público. Não se lembra já das quadras que cantou, mas consegue ainda
descrever com precisão o que sentiu na altura. Quando chegou a São João de Deus, o pézinho já tinha começado. Os cantadores estavam em fila, preparados para cantar.

Sem comentários:

Enviar um comentário