domingo, 18 de junho de 2017

Fernando Pessoa descendente de açorianos pelo lado materno oriundos da ilha Terceira –Açores


Considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa e da literatura universal, Fernando António Nogueira Pessoa, nascido em Lisboa no dia 13 de Junho de 1888, é descendente de açorianos, pelo lado materno, oriundos da ilha Terceira –Açores.
Os seus primeiros anos de vida foram passados em Lisboa. Em 1893, faleceram o pai e o irmão Jorge.
Terá sido neste período que surgiu o primeiro heterónimo do poeta: Chevalier de Pás.
Em 1895, a mãe casou-se com João Miguel Rosa, cônsul de Portugal em Durban, África do Sul. No ano seguinte, Fernando Pessoa mudou-se para este país do continente africano.
Em 1899, ingressou no Liceu de Durban, onde permaneceu três anos. No mesmo ano, criou o pseudónimo Alexander Search. Em 1901, foi aprovado com distinção no primeiro exame, o Cape School High Examination. Nesse mesmo ano, escreveu os primeiros poemas em inglês. Ainda em 1901, regressou a Portugal, tendo visitado a ilha Terceira.
De regresso à África do Sul, matriculou-se na Durban Commercial School, no ensino nocturno, enquanto de dia estudava disciplinas humanísticas para entrar na universidade.
Em 1903, candidatou-se à Universidade do Cabo da Boa Esperança, tendo obtido a melhor nota no ensaio de estilo inglês da prova de admissão, no qual participaram 899 indivíduos. Tal feito valeu-lhe o Queen Victoria Memorial Prize.

Um ano depois, ingressou novamente na Durban High School. Os seus estudos na África do Sul terminaram com o Intermediate Examination in Arts, na Universidade, prova na qual obteve uma boa classificação.
Em 1905, regressou a Lisboa e, no ano seguinte, ingressou no Curso Superior de Letras. A partir de 1908, dedicou-se à tradução de correspondência comercial.
Em 1912, iniciou a sua actividade de ensaísta e critico literário ao publicar os artigos “A Nova Poesia Portuguesa Sociologicamente Considerada”, “Reincidindo…” e “A Nova Poesia Portuguesa no seu aspecto Psicológico”.
 Paralelamente, começou a frequentar a tertúlia literária que se formou em torno de Henrique Rosa, no café “A Brasileira”, em Lisboa.
Em 1915, participou na revista literária “Orpheu”, a qual lançou um movimento modernista em Portugal. Em 1924, juntamente com o artista plástico Ruy Vaz, lançou a revista “Athena”, na qual publicou poesias dos heterónimos Ricardo Reis, Álvaro de Campos e Alberto Caeiro.
Em 1934, publicou o livro “Mensagem”, composto por 44 poemas e vencedor, nesse mesmo ano, do Prémio Antero de Quental, na categoria “poema ou poesia solta”.
Toda a obra do poeta está marcada pela invenção heteronímica, sendo esta considerada como a grande criação estética de Fernando Pessoa.

Faleceu com 47 anos, no dia 30 de Novembro de 1935, em Lisboa.

Sem comentários:

Enviar um comentário